Construção

Construção – Lajes

1

Olá, pessoal, depois de um bom tempo resolvi escrever mais um artigo. A ideia veio do pedido de um amigo que está construindo sua casa e pediu dicas para a compra de concreto usinado para a laje. Está muito difícil escrever no blog, o tempo está cada vez mais curto, não sei quando surgirá um novo artigo.
Quando estava fazendo o terraço daqui de casa descobri que esse é mais um mercado em que acontecem algumas picaretagens, então tem que ter cuidado na hora de contratar. O concreto numa obra é algo barato em relação ao preço total da obra e praticamente impossível de ser substituído, por isso, nesse caso, talvez seja melhor pagar um pouco mais caro no concreto de uma boa empresa. Já imaginou depois de sua laje pronta ter que demolir todo o serviço porque a qualidade do produto é ruim, ou ter que gastar mais com obras complementares para poder ter segurança e ficar sem transtornos, como vazamentos?
operario-trabalha-na-construcao-da-casa-o-dificil-seria-morar-nelaap

Então vamos às dicas:
•    Primeiro saiba que produto você precisa, concreto não é tudo igual. Existem vários tipos de concreto no mercado, mas para obras residenciais as opções são menores, então é mais fácil de escolher. Não tem como comparar preços se não estamos tratando do mesmo produto. Basicamente temos que saber qual resistência queremos, ela é medida pela capacidade de suportar compressão e é chamada de FCK. A unidade de medida do FCK é o Megapascal (MPa), onde 1,0 MPa equivale à capacidade de suportar 10 Kgf/cm² (força por área é igual medida de pressão), como eu pretendia usar a laje para alguns eventos, construir uma cozinha e banheiros, a escolha foi pelo concreto de resistência de 25 MPa. O tipo de brita foi a zero (que tem diâmetro de 12mm), pois, conforme a ABNT, o tamanho da brita não pode ultrapassar 1/3 da espessura da laje que foi indicado pelo pedreiro ser de 70mm (1/3 de 70mm é 23mm, que seria nosso limite).

grd_laje1
•    O segundo ponto é saber a quantidade de concreto que precisará. Inicialmente essa tarefa parece fácil, você pensa em calcular a área da laje e multiplicar pela espessura, porém, o cálculo não é tão simples. A laje não é um tanque impermeável e sem deformação, portanto, é necessário calcular um percentual a mais para o concreto que é “perdido” ao se infiltrar e deformar estruturas. É aqui que começa a picaretagem de algumas pessoas. Alguns vendedores calculam uma quantidade maior de concreto que a necessária para, dessa forma, ganhar com a diferença entre o que ele te vende e o que é entregue. Também há um risco nesse ponto, que é o de faltar concreto quando o cálculo é mal feito. Por isso é necessário pesquisar preços com vários fornecedores e, como veremos adiante, buscar referências de fornecedores.
•    O terceiro ponto é procurar referências do fornecedor. É preciso pesquisar a reputação da empresa, procurar por reclamações na internet ou de outras pessoas que compraram, como vizinhos. Também é bom se informar com pessoas que fizeram obra há mais tempo, para saber como ficou, se não apresenta rachaduras ou infiltrações. Na época vi reclamações até de empresas grandes. Aqui vale uma ressalva, tem que verificar se a pessoa cumpriu o processo de cura corretamente. Depois que a laje é concretada é necessário molhá-la em intervalos curtos de horas, caso contrário ela poderá trincar.

1326220756
•    Por fim, como o nome do blog diz, foi a hora de ser pão duro. Contratei uma empresa que tinha boa reputação e bons preços. Ah! Não deixe de tentar pechinchar, sempre sai um desconto, mesmo que pequeno. Além disso, as empresas costumam ter opções de pagamento sem juros. Pra quem está construindo, toda a economia é bem vinda, uma obra é algo bem caro.
Para quem quer contratar esse serviço em BH e região, segue o site da empresa que contratei: www.asamix.com.br. Eles têm bom preço e boas referências, a obra ficou boa e com custo baixo. Vi que o site atual deles conta com alguns artigos bem interessantes sobre o tema, além de algumas dicas e alertas pra hora de contratar.

8e0fd0a5-6c1b-44f4-a97e-a0f860cb99f9

Aquecedor solar de placas e a vácuo, qual o melhor?

243

Depois de toooodos os problemas que relatei no posto anterior sobre aquecedores solares no geral, ainda restava uma decisão complexa a tomar: aquecedor com tubos a vácuo ou de placas. A maioria das pessoas conhece o sistemas de placas que é bem antigo e tem vários fabricantes nacionais, já o de tubos é bem recente e muitos falam que é gambiarra, outros acham feio (eu) e os vendedores falam que ele é muito mais moderno, que toda a Europa usa e que aquece 10x mais que o de placas. No fim, os vendedores têm uma certa razão, apesar de eles serem todos fabricados na China, eles foram criados na Alemanha e são muito indicados para o clima da Europa.

A única coisa que muda entre os sistemas é a forma de esquentar a água, a parte do reservatório, instalação e dimensionamento continua o mesmo. O sistema de placas possuí uma serpentina de metal (cobre ou alumínio) com umas aletas de metal (alumínio) entre as curvas da serpentina, tudo é pintado de preto, coberto com um vidro para proteger e no fundo tem um isolamento térmico para diminuir a perda de calor para o ambiente.

 

Placas aquecedor solarplaca aquecedor solar

Já o sistema de tubos, funciona com tubos à vácuo como as garrafas térmicas. A água passa por dentro dos tubos e uma camada absorvente dentro do vidro tem o papel de esquentar a água. O único papel do vácuo é fazer o isolamento da água para o ambiente (assim como o isolamento de espuma das placas), evitando que a água perca seu calor para o ambiente mais frio. É aí que está o pulo do gato destes sistemas, pois o isolamento à vácuo é tão eficiente quanto uma garrafa térmica, capaz de manter o líquido quente por um dia todo.

 

 

Os sistemas de tubos podem aparecer de duas formas: o acoplado, o mais estranho e feio de todos, pois os tubos ficam encaixados diretamente no reservatório e ele fica bem alto no telhado. E o sistema modular, que é como o de placas, mas no lugar das placas eles colocam os tubos.

Depois de pesquisar por toda a internet convencional, não achei nada que realmente provasse que um era realmente melhor que outro, encontrei apenas “achismos” e papo de vendedor, que não é nada confiável. Então resolvi procurar onde deve-se procurar quando a porra fica séria, onde está realmente o conhecimento, no lugar que move o mundo: Google Scholar!

Pra que não tem familiaridade com o meio científico, eu explico, o Google Scholar é um dos motores de busca para artigos científicos, que são o que os cientistas publicam quando descobrem alguma coisa. Neste lugar eu encontrei a excelente dissertação do Fabio que fez seu mestrado na UFRGS no Laboratório de Energia Solar que faz muitas pesquisas nesta área e eu nem sabia que existia, você pode ler a dissertação aqui.

A proposta da pesquisa é justamente saber qual é mais indicado considerando a região do país e os custos de cada sistema. Resumindo a ópera, o sistema de tubos à vácuo tem uma eficiência energética melhor (ele produz mais calor considerando a mesma área de absorção), principalmente por sua capacidade de isolamento nos coletores. Entretanto, essa melhoria só trás grandes benefícios em locais com condições climáticas muito severas como Europa e sul do Brasil. Além disso, por ele ter uma eficiência melhor, normalmente o vendedores vendem o sistema com menos tubos, então ele acaba se igualando às placas, que geralmente são mais baratas e possuem empresas mais sólidas, com certificação do INMETRO e com uma garantia melhor.

Considerando que moro em Belo Horizonte e a diferente de preço, o de placas ficaria tudo por volta de R$ 3.000 e o de tubos uns R$ 3.700. Então optei pelo de placas mesmo. Para realmente tirar minha dúvida cheguei a mandar um e-mail para o Fabio, o autor da dissertação que mencionei acima e ele também me indicou o de placas já que eu morava em Belo Horizonte.

Então na hora de escolher analisem bem o caso de você. Os coletores de tubos, apesar de serem bem feios, não são gambiarras e são bem modernos, as empresas que os instalam é que são bem pé de cachorro, com jeito de picaretas mesmo. E os vendedores sempre vêem com um papo de que pra ele você precisa de reservatório menor porque ele esquenta mais e tenta empurrar poucos tubos, isso mata a eficiência do sistema e pode deixar ele pior que o de placas que tem uma eficiência bem definida de 1m² de área de placas para 100l de água.

 

Atualização 25/03/14:

Ontem ficou nublado o dia todo, choveu boa parte do dia e estava fazendo um frio de pouco menos de 20º. Eu e mais uma pessoa tivemos que tomar banho somente com a água quente, e estava de morno pra um pouco frio. Hoje de manhã fui ver o sistema da minha mãe que é ao lado, para saber se era um problema no meu ou não, estava bem parecido, talvez um pouquinho mais quente, mas ela também não utilizou água frio no banho à noite.

Então posso concluir, que na pior situação possível para este tipo de sistema, ele realmente perde eficiência, precisaria de um de tubos para comparar.

Atualização 26/12/14:

Estou tendo muitos problemas com a pequena caixa d’água instalada sobre o boiler. Primeiramente era a boia que não conseguia parar a vazão, depois de algumas “quebras” no braço da boia melhorou um pouco. Depois uma das caixas vazou e tivemos que usar durepox pra vedar. Depois a outra vazou e teve de ser troca, aí começaram os vazamentos da boia de novo. Tudo isso é apenas 1 ano.

Tentem sempre fugir dessas caixas, instalando de forma que as caixas da casa fiquem mais altas que o boiler, mas ainda acho que elas devem ser melhores que as bombas, que gastam energia e imagino que deem todos esses problemas também. Existem umas caixas cela, que encaixam sobre o boiler, se continuar dando problema vou tentar uma dessas.

 

Aquecedores solares, o que você não sabia sobre eles

72

Para economizar na energia e também dar uma força para o meio ambiente, desde o começo do projeto da casa decidir colocar aquecedor solar. Apesar de ter decidido isso muito antes, posterguei o estudo sobre os aquecedores e acabei tendo alguns problemas na hora de escolher e instalar o aquecedor.

Mesmo antes de explicar o que é o aquecedor a vácuo e de placas, acho melhor dar uma geral sobre aquecedores solares. O funcionamento destes aquecedores segue um princípio bem simples, embora eles tenham detalhes de instalação bem complexos. O funcionamento básico é o seguinte: a água mais fria sai do reservatório térmico e vai para um local onde o sol irá aquecê-la (tubos a vácuo ou placas) e depois de quente volta para o reservatório, ficando neste ciclo até ser consumida. Entretanto, para que esta circulação seja natural, algumas restrições devem ser seguidas:

1. Deve haver um desnível entre os componente do sistema, sendo que a caixa de água fria deve estar ~20 cm acima do topo do reservatório, que por sua vez deve estar ~20 cm acima do topo das placas;

2. Em poucos lugares isto é falado, mas existe uma distância máxima para o retorna de água quente das placas para o reservatório, esta distância é de 5 ou 6m, mais que isso há uma perda de carga e comprometimento da circulação que inviabiliza a circulação natural;

 

 

 

3. Os canos que ligam o reservatório com as placas não podem subir para depois descer, pois em caso de formação de bolhas de ar, elas ficariam presas e impediriam a circulação natural. Já entre a caixa de água fria e o reservatório o cano deve descer e depois subir, para não voltar água quente para a caixa fria.

Existe uma norma da ABNT, a NBR 15569 de 2008 que regulamenta os sistemas de aquecimento solar. Para minha surpresa essa norma é VENDIDA pela própria ABNT por R$ 121,00!!! Depois de procurar bastante consegui o arquivo e estou disponibilizando o mesmo aqui. E essa norma nem é tão boa assim…

Os reservatórios também têm suas peculiaridades, a maioria dos reservatórios é de baixa pressão, ou seja, não podem receber água direto da rua (existem os de alta pressão, mas são bem mais caros, é melhor usar uma pequena caixa d’água de uns 20l só para retirar a pressão). Outro problema da água do sistema não vir da caixa de água fria é que em caso de falta de água da rua, você não terá água quente! Isso mesmo, parece estranho, mas nos reservatórios comuns, precisa entrar água fria para sair quente, pois a saída de água quente fica na parte de cima do mesmo.

Uma solução, que eu usei na minha casa, é usar um reservatório de nível ou com pescador. Nem todos os fabricantes têm este tipo, cuja mágica para usar toda a água do reservatório é ter um cano flexível com uma boia na ponta como captador de água quente, desta forma, caso não entre mais água fria, ainda assim a água quente vai sair e o nível do reservatório e da saída de água vão abaixando.

 

Caso você não consiga seguir todas estas restrições, ainda lhe resta uma alternativa: sistema de circulação forçada. Essa quase foi a solução pra mim, o  problema é que como não considerei tudo isso antes de construir a torre/castelinho onde ficaria a caixa d’água fria, ela ficou baixa para caber a caixa, o reservatório térmico embaixo e ainda dar altura para as placas ficarem sobre o telhado.

Neste sistema, é instalada uma bomba elétrica que move a água entre o reservatório e as placas. Apesar do gasto com energia desta bomba ser algo em torno de R$ 7 por mês, a bomba custa caro, encarece a mão de obra, eventualmente vai precisar de manutenção e aumenta as chances de problemas no sistema, por isso gostaria de evitar a bomba a todo custo. Cheguei a pensar até em utilizar painéis solares para gerar energia para a bomba, mas isso só resolveria parte do problema, minha solução definitiva foi colocar os reservatório fora da torre, presos por um suporte metálico, que custou o preço da boma, uns R$ 700.

Outro detalhe que só descobri depois de comprar o sistema, é saber o que é responsabilidade do cliente e o que é da empresa que você está comprando. Antes de compra o vendedor falou pouco disso, mas depois de pagar apareceu um termo que eu deveria assinar, garantindo que eu iria fornecer tudo que eles exigem sob pena de pagar a visita improdutiva do técnico que seria o preço da instalação, uns R$ 400,00. Dentre outras milhares de coisas eles exigem:

– Ponto de água fria já com os registros a 1m dos reservatórios

– Pontos de água quente com rosca de 3/4” a 1m dos reservatórios

– Transporte dos reservatórios para cima do telhado!!! Minha sorte é que o serralheiro que fez o suporte fez isso pra mim

– Transporte das placas para o local da instalação. Isso ai eu reclamei com o vendedor e falei que era piada se ele queria que eu deixasse elas sobre o telhado

– Um ajudante para auxiliar o técnico no dia da instalação, brincadeira…

E mais um monte de exigência, só faltou pedir café pro cara e almoço. Se eu soubesse disso antes de pagar teria negociado essas exigências ou olhado com outras empresas.

Então pessoal, prestem bastante atenção antes de escolherem a empresa que irá instalar o seu aquecedor e também o fabricante do mesmo. Um bom lugar para começar as pesquisas por fabricante são os associados deste site: http://www.dasolabrava.org.br/associados/

No próximo post vou falar da escolha entre reservatório de placas e de tubos à vácuo, abraço!

 

Representantes Comerciais

3

Como vocês sabem, pois já postei bastante aqui, estou com uma casa em construção. Como um bom pão duro e inventor do método PIP de Pesquisa Intensiva de Preços, estou sempre pesquisando absurdamente o preço das coisas antes de comprar.

Representante Comercial

Quando você atinge um grau elevado de pesquisas de preço, você começa a conseguir comprar direto das empresas que produzem os produtos. Normalmente estas empresas vendem seus produtos através dos chamados representantes comerciais. Estes profissionais (alguma vezes não muito profissionais) podem ser contratados da própria empresa, e desta forma empregados e representantes exclusivos da mesma, ou o que acredito ser o mais frequente, eles são profissionais autônomos que apenas vendem os produtos daquela empresa e não raro vendem de várias outras também.

 

É difícil comprar destes profissionais, mesmo você tendo uma empresa e CNPJ como é meu caso, pois existe uma certa ética de que eles não devem vender diretamente para consumidores finais para não fuder com as lojas do varejo como Leroy Merlin e Telha Norte que tentam fuder a gente com lucros absurdos. Mas algumas empresas possuem uma representação para construtoras e tendo uma empresa e uma obra de verdade, algumas vezes você consegue comprar destes caras.

Representante Comercial

Pois bem, além de dar a dica de comprar com representantes da empresa, este post é mais para alertá-los dos perigos desta prática! Um grau acima da evolução nas compras com representantes é comprar de representantes fora da sua região. Pois além deles representarem a empresa, eles são setorizados, eles representam a empresa apenas em uma região designada. Acontece, que como disse, é difícil conseguir comprar deles, alguns simplesmente não te atendem ou não querem te vender, então comecei a tentar comprar de representantes de outras regiões mais distantes.

 

Aí que vem um dos perigos, além dos que já existem para qualquer representante, a distância! Aconteceu de eu conseguir comprar de um cara de uma cidade do norte de Minas Gerais, quase na Bahia. No começo foi mil maravilhas, ele respondia os emails instantaneamente, me atendia pelo telefone e até me ligava, mas tudo mudou após o pagamento, que estranhamente ele pediu que fosse feito na conta da empresa dele. Depois disso ele não respondia mais meus emails, só ligações, depois parou de responder as ligações. Fiquei cortando prego de ter caído em um golpe e o cara nem ser representante da empresa e ter me fodido em mais de 2,5k!

 

Liguei para empresa e consegui confirmar que ele realmente trabalhava para eles, menos mal… Entretanto ele foi me respondendo cada vez menos, quando conseguia uma reposta ele sempre falava que os produtos iriam chegar no dia seguinte e isso se estendeu por mais de um mês, e eu nem podia ir na casa do vagabundo dar uma prensa nele porque ele estava a mais de 400 km de distância. Eu procurei o máximo de informação que pude dele, da empresa e dos gerentes, consegui isso com a internet e contatos com outros representantes da empresa. Então consegui ligar para o gerente dele em SP (outra facada foram as ligações). O gerente parece ser uma pessoa bem correta e está tratando do caso. Ainda não recebi os produtos e já tive que ligar pro gerente várias vezes porque o cara chegou a desligar o celular para não me atender, estou esperando os pisos para semana que vem, espero que cheguem mesmo, depois de mais de um mês de angústia e medo de levar um golpe desses.

sales-guy

Vou compilar as lições aprendidas com essa experiência:

1. Verifique antes de comprar se o representante está mesmo cadastrado e trabalha para aquela empresa

2. Evite comprar de representantes fora da sua região, isso complica muito as coisas em caso de problemas e você vai gastar uma fortuna com ligações DDD (entretanto, esse é o grau 2 de compras com representantes, para prós)

3. Nunca deposite o dinheiro na conta do cara, peça a conta da empresa ou boleto (o gerente disse que depositar na conta dele não era política da empresa)

4. Peça detalhes bem específicos que só um representante saberia sobre o produtos, forma de entrega, preços, fabricação, estoque, etc. Isso é uma forma de testar o cara

5. Pegue todos os documentos que você puder: boleto, comprovante de depósito, pedido, nota fiscal. Se ele se negar a passar algum, suspeite!

6. Consiga todos os dados do cara que você puder, como telefones (fixo é melhor que celular), endereço, nome completo, CPF, CNPJ da empresa de representações dele, nome dos filhos, do cachorro, facebook, linkedin, qualquer coisa serve para mostrar que você não é um idiota e sabe da vida do cara caso ele faça algo com você, ele vai preferir dar o golpe em um mais bobo.

 

Se os pisos chegarem, posto aqui… :-S

 

Atualização: Os pisos chegaram! Faltando 8 caixas, mas foi erro da empresa e vão mandar o restante, ufaaa…

Ajudante ou “atrapalhante” de pedreiro

0

Estou escrevendo este post para alertá-los do riscos na contratação de “atrapalhantes” de pedreiro. Meu neologismo é pra falar que se existe uma raça mais complicada que a dos pedreiros é a dos ajudantes. É mais fácil peneirar um diamante na areia da sua construção do que encontrar um bom. Problemas com os ajudantes não faltaram, vou tentar relatar os mais marcantes para vocês ficarem espertos na hora de contratar esses camaradas.

 

a-funny-money-bills-19

 

1. Combinar o preço.

Preste muita atenção nessa hora, as artimanhas deles para tentarem arrancar mais grana são infinitas. Tente deixar muito, mas muito claro mesmo o valor, pois eles vão fazer coisas como falar que combinaram um valor diferente, falar que naquele dia é mais caro e ele deu o preço de outro dia, falar que o serviço era mais pesado por isso está cobrando mais, e outras infinitas desculpas que eu ainda não ouvi. Um dos casos mais tristes (seria engraçado se eles não cobrassem tão caro por essa piada de mal gosto) foi: combinar um preço com ele numa manhã de domingo, algo como R$ 50 e no meio do serviço ele falar que é R$ 70 porque é domingo, como se você tivesse tratado com ele outro dia. Sinceramente eu ainda não consegui um meio de combinar um preço de forma que eles não mudem no final, o serviço deles é muito curto e barato para um contrato, e brigar muito com eles geralmente é perigoso porque muitas vezes eles têm uma ligação com criminosos e alguns também são ladrões, traficantes e usuários de drogas nas horas vagas, então brigar com eles não é um bom negócio também (tá achando que tô exagerando, tô generalizando, sendo politicamente incorreto e preconceituoso??? Procura “ajudantes de pedreiro” no google images e comenta aí, aquele sangue todo não é por acidente em obras…). Talvez gravar a conversa seja uma boa, ou escrever o trato em um papel na frente dele, depois vou testar isso…
funny-page-000850-vservisu
2. Combinar o serviço

Quando eles não mexem no preço é certo que vão mexer na quantidade de trabalho. Tente deixar claro também para que você está o contratando, mas já aviso que isso é ainda mais difícil que deixar claro o preço. O serviço é foda de medir, no começo a gente tentava tipo empreitada: “- Você tem que limpar a obra, tirar esses entulhos e empilhar aquelas madeiras.” Mas aí corre o risco dele terminar tudo em 2 horas e não querer fazer mais nada porque não foi combinado ou então ele acha muita coisa e sobe o preço ou enrola e não faz tudo. A última estratégia que eu tentei foi combinar por hora, que o normal de qualquer trabalho, no fim todos estão vendendo o seu tempo. Então já tentava combinar com eles perguntando quanto era diária deles se ela era de 8 horas, pra deixar tudo bem claro, mas eles já escaparam disso pelo menos de duas formas: 1. Nessa hora eles não sabem fazer conta ou mudam a hora que chegaram e falam que vão embora uma 2 horas ou mais antes da hora. 2. Esse método é mais legal ainda, eles mudam o que foi combinado e falam que na verdade combinaram a empreitada, exemplo: “- Nessas 8 horas você vai colocar esses entulhos na caçamba e depois limpar a obra e ajudar o pedreiro.” Quando ele acaba de encher a caçamba, que já estava quase cheia, ele fala que terminou e quer receber o dinheiro, aí você fala que combinou a diária e vira aquele bate boca dele falando que não, que era só pra encher a caçamba, que ganhar R$ 60 reais por dia é prejuízo pra ele e isso acaba com você tomando mais uma facada financeira pra não tomar uma verdadeira.

 

i-am-a-thief-i-stole-from-walmart-shoplifting-sign1

 

3. Roubos

Esse é o problema mais tenso de todos, aconteceu pelo menos 2 vezes com a gente, pelo menos que a gente viu. A primeira eu já até falei aqui, vou um roubo de um martelete alugado, no valor de uns R$ 1.800 alugado pelo próprio pedreiro que também era responsável pela contratação dos ajudantes que vinham com ele. Ele disse que foi um deles que viajou no dia seguinte, eu não posso afirmar que foi ele mesmo, mas não ponho a mão no fogo por nenhum dos dois, o que me salvou nessa foi o contrato (que falei em Cuidados na contratação de serviços) e o fato dele ter alugado a ferramenta em nome dele diretamente com a empresa. A segunda aconteceu bem recentemente, quando estavam trabalhando dois pedreiros diferentes aqui, cada um fazendo uma coisa e eu acho os dois bem confiáveis (os mais confiáveis de todos até hoje), o problema foi que um deles trouxe um ajudante do bairro dele, que ele até conhecia a família e disse se de bem. No primeiro dia do cara achei estranho uma marca de mão por dentro do vidro do meu carro que tinha deixado um pouco aberto e tinha respingo de água de cimento e pó dentro dele, o cara também não encarava a gente no olho nem fudendo. No segundo dia ouvi uma gritaria na obra e fui lá ver, o safado do ajudante tinha roubado o celular que o outro pedreiro tinha deixado na obra e estava usando ele na frente do dono! Ele tinha arranhado o celular com seu nome pra falar que era dele e o chip do dono foi achado no meio da areia depois, deu uma confusão danada e o cara foi embora na mesma hora. Quase perdi um pedreiro excelente por causa do ajudante do outro, foda…

 

cifrao olho 2

 

Como vocês puderam ver, eu relatei vários problemas com “desajudantes” de pedreiro, mas não dei solução pra nada. Não dei porque também não tenho e nem acho que exista uma solução definitiva. O que pode ser feito é ABRIR O OLHO! Ficar atento, atento na hora de combinar preço e serviço e atento principalmente nos primeiros dias dos ajudantes, especialmente com os que não te olham no olho. Não deixem nada de valor maior e que possa ser carregado na obra, guarde na sua casa ou peça que o pedreiro leve pra casa dele, tranque sempre seu carro, sua casa e todos os portões. #ficaadica (sempre quis escrever essa hash tag idiota de twitter que o povo usa em todo lugar)

Cuidados na contratação de serviços

0

Hi!

anthony-hopkins-into-alfred-hitchcock

Eu acabei de ver todo o filme do Hitchcock (o filme sobre ele, não um dos filmes dele) sem perceber que o ator que o fazia era o Anthony Hopkins, que estava muito gordo e diferente, parece até que ele mexeu no lábio. Da mesma forma  que eu fui enganado por ele, na hora de contratar um prestador de serviços, existem “profissionais” dignos de Oscar.

 

Cada um ao seu estilo, muitos vão tentar te enganar. Vai ter o que fala que faz aquele serviço muito bem mas vai sair uma porcaria, vai ter o que fala que faz em uma semana e demora 1 mês (quase todos os pedreiros) e vai ter também o que vai tentar de enganar com o preço, combinando um preço para o serviço e querendo aumentar depois que começar alegando que é mais difícil do ele previa ou vai gastar mais tempo. Você deve sempre tentar se resguardar desses picaretas (você e seu dinheiro), que existem em todas as categorias.

hughhefner-marriage

Uma forma fácil e barata de tentar evitar esse povinho é fazer um contrato de prestação de serviços. Muitas vezes esse contrato até te ajuda a peneirar os picaretas, pois quando você avisar que vai fazer o contrato ou pedir os documentos do maganão muitos simplesmente somem, falam que voltam no dia seguinte, sem problema, super animados, – Trago sim dotô, sem problemas, amanhã a gente tá ai cedo e em uma semana a gente termina tudo! Nunca mais você vai ver a cara do sujeito.

 

Mesmo fazendo o contrato, você tem que saber o que colocar nele. Logo no começo da obra eu peguei um modelo simples de contrato e usei ele, mas com a experiência golpística adquirida com a obra, fui só aumentando o contrato, me resguardando cada vez mais. Algumas coisas que entraram depois de umas dores de cabeça foram:

CUECAO DE OURO

1. Pagamento, defina exatamente com o prestador do serviço e no contrato como vão ser feitos os pagamentos, nunca, jamais, pague antecipado! Quando for conversar sobre o serviço já fale sobre isso, se ele falar que trabalha assim, considere isso como um requisito indispensável para você que esse profissional não atende e procure outro. Uma exceção poderia ser você já conhecer o cara a mais de 20 anos prestando serviços para você. Defina também no contrato e explicitamente com ele, como serão feitos os pagamentos. Acho a melhor forma o pagamento proporcional ao progresso, mas as vezes é difícil medir isso, então pode-se combinar o pagamento das partes por tempo, mas tem que se garantir que o serviço não está atrasando. Pelo menos umas 2 vezes aconteceu de alguém abandonar o serviço porque eu não cedia aos constantes pedidos de dinheiro, em todas as vezes o cara também era muito ruim de serviço, ou seja, eram picaretas safados disfarçados.

 

britadeira

2. Ferramentas, esse item entrou aqui por causa de situação que depois descobri que era até recorrente. Em um momento da obra, precisamos alugar um martelete (também chamado de britadeira), essa ferramenta é cara pra caraleo! Custa uns R$1.800 e no contrato do empréstimo o espertão do cara que aluga coloca o valor como uns R$ 2.500. Para minha sorte, no contrato de serviço falava que as ferramentas eram responsabilidade do contratado (o que faz sentido, não tem como você que está contratando ficar o dia todo ao lado do sujeito vigiando se ele não tá usando o martelo errado ou forçando a serra com o disco trocado). Tive sorte também que o próprio pedreiro que alugou a ferramenta com um “amigo”, tudo em nome dele. O fato é que misteriosamente, depois de ele ter vindo num domingo que nem deveria e não ter vindo na segunda de manhã quando deveria, o tal do martelete tinha sumido. Fiquei cortando prego de ter que pagar essa mini fortuna, mas o próprio cara que alugou sabia que a responsabilidade era de quem alugou, aí fiquei sabendo que roubo de martelete era muito recorrente e várias vezes era o próprio ajudante ou pedreiro que surrupiavam o dito cujo, diz ele que os pedreiros sérios levavam o martelete para a casa ou pediam pra guardar dentro da casa da pessoa (foi o que a gente fez das outras vezes), em algumas obras os caras trabalham com ele acorrentado, para não serem roubados por ladrões armados passando na rua.

 

Tudo que falei e algumas outras coisinhas fui colocando no contrato, que estou disponibilizando para vocês aqui.

Caso vocês tenham algumas outras situações que são importantes, mas ainda não ocorreram comigo, mandem nos comentários que vou adicionando neste modelo.

Abraço, fui!

Medidas para construção

0

O texto que havia me referido no post anterior sobre as medidas de construção:   Veja então um pequeno resumo das áreas e medidas, para cada ambiente de uma residência:

Cozinha — A área mínima é de 4 m², com no mínimo 90 cm no corredor de circulação, para facilitar o trabalho sem interferir na passagem. A pia para lavar louças deve ter, no mínimo, 55 cm de profundidade enquanto que a altura média fica em 92 cm, variando conforme a estatura dos proprietários da casa.

Área de serviço — Área mínima de 4 m², O tanque de lavar roupas deve estar em uma altura mínima de 80 cm.

Banheiro — As dimensões variam de acordo com as peças a serem instaladas e a categoria do mesmo, por exemplo, simples, de luxo ou funcional. Em todos os casos, a medida mínima (realmente mínima!) é de 80cm, em termos de praticidade, mas pode ser de 90cm e até 1 metro dependendo da legislação. Se tiver apenas a bacia sanitária a área mínima é de de 1,20 m². Com bacia sanitária e lavatório a área mínima sobe para 1,50 m² com os mesmos 80cm de medida mínima. Com bacia sanitária e chuveiro vai para 2 m². Se contiver bacia sanitária, chuveiro e lavatório precisará de 2,50 m². As dimensões do box de chuveiro não deveriam ser menores que 80 x 80 cm, mas em casos excepcionais se admite até 70cm, entretanto o ideal é que seja maior que 80cm, algo como 100 x 90 cm.

Lavabo — Quando é composto por lavatório e vaso sanitário sua dimensão mínima é de 80 x 120cm, ou seja, quase 1 m². A porta deveria ser aberta, sempre, para o lado de fora, não só para economizar o precioso espaço interno mas para permitir acesso ao interior caso alguém desmaie dentro do cômodo.

Hall de entrada — Para transitar sem aperto, facilitando a abertura da porta e a entrada de uma ou mais pessoas é preciso um espaço mínimo de 1,80 x 1,80 m.

Garagem — O projeto de garagens requer estudo cuidadoso, pois além do espaço ocupado pelo veículo propriamente dito há que se prever a circulação e manobra além da abertura de portas para entrada e saída de pessoas e bagagens. O espaço realmente mínimo é de 2,25 x 4,50 m, mas recomenda-se que, se possível, se passe para 2,80 x 5 m. Isto porque as vagas devem permitir que, quando o veículo estiver centralizado nela, exista um espaço mínimo de 30 cm ao redor para facilitando o embarque e o desembarque.

Adega — A colméia é o local onde se encaixam as garrafas levemente inclinadas, deve ter 30 cm de profundidade e cada compartimento deve possuir pelo menos 12 cm de diâmetro.

Dormitórios — A área mínima é de 8 m² enquanto que a dimensão mínima é de 2,50m. Para dormitórios confortáveis e versáteis, entretanto, recomenda-se que a dimensão mínima seja de 3,00 m. Aliás, a medida do dormitório costuma ser o módulo de medida usado no projeto de residências, quando se define a medida mínima do dormitório, que geralmente fica alinhado com a fachada do imóvel, passa-se a dimensionar os outros ambientes. Ao projetar um dormitório é preciso reservar espaço para a cama, que possui comprimento mínimo em torno de 2 m e largura que varia com o tipo. O modelo de casal tem ao menos 1,38 m mas pode chegar a mais de 2,00 nos chamados modelos “King Size”. Também é necessário espaço para circulação ao redor da cama, para tanto nas laterais deve haver uma distância livre de pelo menos 60 cm e de 75 cm nos pés da mesma. Um dormitório de empregada que realmente vá ser usado como tal deve ter, no mínimo, 6 m² de área e medida mínima de 2 m, coisa que dificilmente se vê nos apartamentos projetos atualmente.

Closet — A área mínima de um ambiente de vestir é 4 m², sendo que a área mínima é de 2 x 2 m. Isto porque é preciso prever espaço para a abertura das portas e também que um armário de boa qualidade tem 60 cm de profundidade e é necessário no mínimo 80cm de circulação. Os modelos comerciais de armário, entretanto, têm 55 ou até mesmo 50 cm de profundidade, insuficientes para colocar uma roupa pendurada sem amassar, mas se o usuário insistir em usar estes modelos poderá baixar a medida mínima para algo como 1,90m.

Salas — Devem ter no mínimo 8 m² de área útil. Para salas de TV, a área mínima recomendada é de 4 x 3 m com pé-direito de 2,40 m. Isto porque é preciso fornecer conforto acústico e visual para assistir TV ou escutar música, e a distância entre a TV e o telespectador deve ficar em torno de 2,50 m. A altura do centro do monitor de TV deve estar entre 50 e 80 cm do chão. No mínimo, uma mesa redonda para quatro pessoas deve ter 90 cm de diâmetro e uma para seis pessoas 1,25 m. Uma mesa quadrada com quatro lugares tem dimensão mínima de 1,30 x 1,30 m e a de oito lugares fica em 1,50 x 1,50 m. É recomendável reservar 80 cm entre o encosto da cadeira e a parede para que os usuários possam sentar e levantar tranqüilamente da mesa, mas se puder deixe um espaço maior. Não se esqueça também dos degraus. Para as escadas ou desníveis serem confortáveis e seguros, cada degrau precisa terno mínimo 0,17 m de altura e 0,27 m de largura. Nunca deve ser maior que 0,85 m. Assim você garantirá segurança na circulação.

Escadas e corredores — Quando de uso restrito, deve ter largura mínima de 0,90 m.Quando curva e estreita, a largura varia entre 0,70 m e 0,80 m. Para uma escadade uso comum, ou seja, com espaço para duas pessoas passarem ao mesmo tempo, a largura mínima exigida é de 1,20 m. Nas escadas de uso coletivo, ou seja, para três ou mais pessoas usarem ao mesmo tempo, a largura mínima exigida é de 1,90 m. Em todos oscasos, o pé-direito deve ter, no mínimo, 2,10 m.Não se esqueça também dos degraus. Para as escadas ou desníveis serem confortáveis e seguros, cada degrau precisa terno mínimo 0,17 m de altura e 0,27 m de largura. Nunca deve ser maior que 0,85 m. Assim você garantirá segurança na circulação

Outras medidas

Além destas medidas e áreas para os cômodos, diversos elementos de uma residência têm medidas mínimas, em termos de ergonomia, facilidade de manutenção e para instalar os eletrodomésticos. Veja:

Guarda corpo e peitoris — Geralmente projetado para a proteção de escadas e terraços,o guarda corpo deve ter altura suficiente para evitar quedas. A altura mínima deve ser de 85 cm, enquanto que um peitoril de janela deve ficar entre esta medida e 1,10.

Instalação Elétrica — As tomadas são colocadas em três alturas, conforme seu uso: as baixas, entre 25 a 40 cm. As de altura média, usadas geralmente para os interruptores,ficam entre 90 a 120cm, sendo mais usual a medida de 110cm. Já as tomadas altas,usadas para chuveiros, exaustores e aparelhos de ar condicionado, ficam entre 2,10 a 2,20 m.Os interruptores ficam entre 1 m a 1,30 m. Nos dormitórios, é importante colocar pelo menos dois interruptores, um junto à porta de entrada e outro perto da cabeceirada cama.A campainha deve ser instalada no máximo a 1,50 m de altura para permitir o acessoa crianças e portadores de deficiência física, e no máximo a 30 cm do portão, para que obraço possa alcançá-la sem esforço. Nessa parte de instalações elétricas existe uma norma da ABNT muito boa que fala muita coisa, principalmente saber qual a bitola do fio para cada corrente, baixe aqui.

Instalação Hidráulica — A altura mínima do registro da água do chuveiro deve estar a 1,20m e a ducha ou chuveiro a 2,10 m na parte de baixo, enquanto que o registro geral devem ficar a 1,90. Esgoto de tanque fica a 40 cm e de pia de cozinha a 50cmdo chão.

Portas — Nas medidas de portas deve-se entender o que é medida da folha e o que é vão-luz. Convencionou-se que a folha de porta entra 1 cm de cada lado e 1 cm no topo para encaixar no batente. Já o vão-luz é a medida livre no batente, sendo que a medida padrão para a altura do vão-luz é de 2,10m. Assim, uma porta com vão-luz de 80cm vaiusar uma folha de 82 x 211. Uma porta com folha dupla e vão luz de 1,40m vai usarduas folhas de 72 x 211cm.As medidas comerciais para as portas são de 60, 70, 80, 90 e 100cm. Usa-se a de 60cm em banheiros, lavabos e despensas, a de 70cm para banheiros e até nos dormitórios, mas nestes últimos é melhor ficar com portas de 80cm, para facilitar a entrada dos móveis. Nos corredores e portas de entrada recomenda-se portas de 90 em ou mais.Se necessário instalar um olho mágico, este deve ficar ao centro da porta em uma altura mínima de 1,50 m, mas que deve ser medida pela altura do olho da menor pessoada casa para garantir a comodidade de todos.

Janelas — Seu tamanho deve seguir o desejo dos proprietários e do projeto arquitetônico. Devem ficar numa altura que permita que uma pessoa em pé ou sentada dentro do ambiente consiga visualizar o lado de fora.Janelas de cozinha devem ter seu peitoril numa altura mínima de 1,25 m. Para dormitórios, escritório e salas, a altura mínima é de 1 m enquanto nos banheiros é de 1,80 m, podendo ser menos desde que se garanta a privacidade do usuário com elementos comovegetação, brise-soleil ou muros.Em qualquer caso, a área de iluminação deve ser de 1/10 da área de piso para ambientes de permanência prolongada, como salas e dormitórios, e de 1/7 da área de piso para ambientes transitórios, como banheiros e cozinhas. A área de ventilação natural deve ser de, no mínimo, a metade da superfície de iluminaçãoral para cada ambiente.Por exemplo, uma sala de 20 m² deve ter janela com no mínimo 2 m² envidraçada e que abrapermitindo vão de ventilação com ao menos 1 m².

Armários — Para qualquer tipo de armário o ideal é não ultrapassar 1,80 m, para evitar o uso freqüente de escadas. Pode-se usar armários mais altos, mas recomenda-se que não passem de 2 m desmontados, para que possam passar pelas portas. Em caso de optar pelos armários embutidos recomenda-se que, quando suspensos, tenham pés com altura mínima de 0,10 m para facilitar a limpeza.

Design Universal O dimensionamento dos ambientes e seus móveis, utensílios e acessórios são de extrema importância, existindo a ciência da Ergonomia para fornecer parâmetros. Numa evolução do estudo da ergonomia aplicado à arquitetura e ao desenho industrial surgiu a tendência do Design Universal, que busca fazer com que todos os ambientes e objetos sejam utilizáveis pelo maior número de pessoasl, sem exclusão, independentemente de sua capacidade física. Muitos projetistas pensam em fazer seus produtos apenas para pessoas normais e sadias, esquecendo-se de que existem pessoas que temporariamente ou não, andam em cadeira de rodas, que enxergam pouco ou têm deficiência auditiva.

Engenheiro, ter ou não ter? Eis a questão.

0

Engenheiro Civil

Ao iniciar uma obra pelos procedimentos convencionais atuais, você deveria primeiro contratar um arquiteto para fazer sua planta e ouvir as suas necessidades e depois passar para algo mais técnico e frio com um engenheiro, quando ele deve planejar a estrutura e fundação da sua casa e fazer cálculos de quanto e quais materiais devem ser empregados na mesma. Embora isso seja o procedimento atual de uma construção, vamos analisar como ocorria antigamente, bem antigamente e como chegamos a isso…

 

Os primeiros pedreiros/engenheiros profissionais da história, surgiram na Idade Média. Eles eram os responsáveis pela construção dos castelos e tudo mais que houvesse dentro dos feudos, entretanto, eles não pertenciam ao feudo, pois eles podiam e precisavam se deslocar pelos feudos para construí-los e assim que estivessem acabados, partiam para outra obra. Desta forma, eles não eram servos, nem nobres e muito menos pertenciam ao clero. Até por serem uma classe distinta de todas as outras, desde a Idade Média, eles começaram a se associar. Pedreiro em francês é Maçon (em inglês Mason), daí você já pode perceber a associação e a origem da sociedade secreta da Maçonaria, não atoa representada por um esquadro e um compasso.

maçonaria

Toda esta divagação histórica, é para que vocês percebam que na antiguidade não existiam faculdades de engenharia e os pedreiros eram os responsáveis pela construção de enormes castelos e edificações, apenas passando seu conhecimento pela experiência e pela palavra, assim como é feito com os pedreiros da atualidade. Muitas construções hoje em dia, principalmente residências mais humildes e até prédios (eu conheço um) são feitos sem o uso de engenheiros formados, apenas com pedreiros ou mestres de obra (pedreiros mais experientes). O que nos leva ao dilema: ter ou não ter um engenheiro?

 

Vou relatar o meu caso e vocês tirem as suas conclusões. Eu não quis contratar um arquiteto nem mesmo para fazer a planta, eles cobram por volta de R$ 5.000,00. Como eu tenho certa facilidade para mexer com programas de computador, baixei o Sketch Up do Google e aprendi a fazer planta baixa nele, consegui até colocar uns móveis e pessoas dentro da casa para ver se os espaços estavam adequados. Inclusive, para saber sobre esta questão de espaços (uma área com 2,00×2,00m é grande ou pequena?) tive que estudar bastante, vou postar logo em seguida um texto com as medidas básicas de construção que me guiou muito nestas definições. Eu tive que estudar muito do assunto, ver muiiitas plantas para ter ideias e entender como os apartamentos atuais estão sendo construídos e isso tudo deve ter me tomados mais de 6 meses (tempo em que as obras da garagem estavam sendo feitas e eu procurava um pedreiro).

arquiteto_laco_da_planta_baixa_gravata

Como vocês podem perceber, eu acredito que todos podem saber um pouco de tudo, assim como ocorria na Idade Média, Leonardo Da Vinci era cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Hoje em dia muita gente acredita que gripe se cura com Dipirona porque é advogado e não médico (não há remédio para vírus) ou não sabe nem o que é um blog porque é psicólogo e não Cientista da Computação. Para quem não tem todo este tempo ou disposição para estudar, talvez contratar um arquiteto possa ser bom, para sua casa não virar um caixote, como um amigo engenheiro falou que a casa ficaria se projetada por mim (ele tinha um irmão arquiteto muito bom, mas no fim ele concordou que a divisão estava melhor que a de um caixote). No caso de optar por um arquiteto use o método da Pesquisa Intensiva de Preços (PIP), mas dê um peso maior para indicações, pois essa ciência leva muito em conta experiência e criatividade.

 

07ny015_domino_effect_slab_420x310

 

Metade da minha obra foi construída sobre a laje de uma garagem. No início eu nem mesmo sabia se poderia fazer paredes diretamente sobre a laje, se as paredes deviam seguir as vigas da laje da garagem ou eu teria liberdade para fazer minhas paredes. Na hora de fazer orçamentos com pedreiros aproveitei para fazer a boa e grátis consultoria com diversos profissionais, a maioria dizia que era possível fazer as paredes sem problemas, mas mesmo assim eu estava me sentindo inseguro, então resolvi contratar um engenheiro estrutural (meu amigo engenheiro não servia, pois as especializações são muito intensas até mesmo dentro de uma mesma profissão). Meu sonho de ficar seguro e dormir tranquilo sabendo que a casa não iria cair acabou antes de começar. Tentei vários contatos com engenheiros estruturais, todos que eu tinha por indicações, acabou que já havia conseguido um empreiteiro experiente para a obra e nada de conseguir o engenheiro, alguns nem deixavam o meu contato passar o telefone deles pra mim porque estavam muito ocupados, então eu acabei sendo convencido pelo empreiteiro, que garantia que tudo daria certo e comecei a obra sem engenheiro mesmo.

 

Eu nem sei falar quanto eles cobrariam, pois nenhum chegou a vir aqui, mas acho que a hora de deles não deve passar de R$ 100,00, o que deve ser o valor máximo de uma visita, afinal eles tem um piso salarial definido pelo CREA de 8,5 salários mínimos, que hoje daria  R$ 5.763,00 (8,5 x R$678,00) o que daria uma hora de R$ 32,02, mas claro que para serviços por fora e esporádicos esse valor sempre sobe.

preocupaçao

O problema de não ter contratado o engenheiro, é que minha preocupação não passou após a alvenaria concluída, na verdade ela subiu um andar. Eu estava até tranquilo em saber se a laje da garagem aguentaria as paredes, o problema é que a casa sobre esta laje foi feita quase sem nenhum pilar, e comecei a achar que essa estrutura podia não aguentar o peso do terraço e telhado. Como o martírio de não ter uma certeza maior estava ficando maior do que o gasto que poderia ter com um engenheiro e uma reforma do grau que poderia ser necessária, posterior ao acabamento seria um armagedon financeiro, resolvi novamente procurar um engenheiro.

Então liguei novamente pros contatos antigos, pus no facebook, perguntei pessoas e finalmente consegui! O cara era bem experiente e finalmente consegui marcar com ele num Domingo aqui em casa. Ele era super simpático e bem tranquilo (e eu morrendo de medo do preço!) ele olhou tudo, falou que o pior já passou, que se não caiu até agora não cairia mais (ele ria falando isso) e que a casa não apresentava trincas nem sinais de que estava sobrecarregada, falou pra eu preocupar só com o casamento. Achei ele até tranquilo demais, mas acho que agora posso relaxar mais um pouco (apesar de ainda ficar um pouco cismado), então ele falou que já iria e eu fiz a dolorosa pergunta: quanto é a visita?

funny-pictures-kitten-is-too-happy

Agora vocês acham que vou responder à pergunta de quanto custa a visita de um engenheiro??? Não! Para a Nossa Alegria ele disse que aquilo não era nada, que nem cobraria pois não havia problema algum, eu até insisti um pouquinho falando da gasolina e o fato de ser Domingo, mas ele disse que não precisava (engenheiro ganha bem, não precisa de trocado) e foi embora, bom né! Se alguém souber o preço da visita, comenta ai. Abraço!

Demolição, como evitar picaretas e ainda ter um preço baixo

7

 

Demolição fail

Aqui vai a primeira e muito importante dica que uso SEMPRE: Pesquisa Intensiva de Preços (PIP). Se você fizer uma grande pesquisa de preços sobre qualquer coisa você vai se surpreender com a diferença de preços que certos produtos podem apresentar e muitas vezes essa diferença não significa perda de qualidade. O problema é que existe mercado para todo mundo, para os que cobram caro e para os que cobram barato, pois muita gente acha que seu tempo vale mais que seu dinheiro (talvez vale mesmo, ai blz) e não pesquisa nada antes de comprar algo ou contratar um serviço, eu não faço isso…

Como fazer a pesquisa: principalmente quando forem mais itens, comece criando uma planilha de excel. Se você tiver um conhecimento um pouco mais avançado de excel, faça uma fórmula que já destaque os menores preços encontrados e marque eles de verde. Assim que der eu coloco uma planilha assim que usei pra pesquisar preço de material de construção.

 

Voltando à demolição, comecei a pesquisa por onde sempre começo quando não tenho indicações de profissionais: catálogo (papel mesmo), telelistas.net e Google. É importante você usar todas estas diferentes mídias de pesquisa porque geralmente as empresas mais baratas nem sabem se internet é de comer ou de passar no cabelo, elas estão paradas no tempo, inclusive com suas listas de preços desatualizadas, defasadas em relação aos concorrentes e por isso mesmo absurdamente baratas!

 

fail

 

Então comecei a ligar intensamente para empresas de demolição. Neste tipo de serviço é necessário visita ao local para definição do orçamento. Não perca tempo agendando com um, esperando ele vir e agendando com outro. Muitas raças categorias de trabalhadores se dão ao luxo de faltarem em 90% dos agendamentos de orçamento, como os pedreiros (faço questão de dedicar um post a eles). Marque orçamentos freneticamente, com diferença de 15 minutos entre eles, com serviços elétricos aconteceu de minha mãe enrolar um na porta enquanto eu recebia o preço de outro e despachava ele por outra porta ou deles se encontrarem na porta e você ficar meio constrangido com o encontro, mas por outro lado foi bom que eles perceberam que não estava apenas pegando o primeiro que achei e davam preços menores inclusive falando “Da prioridade pra mim mano, a gente faz um preço menor se precisar.”

Agora vem o problema dessa estratégia, que só percebi depois de contratar o serviço. Lembrem que na grande maioria dos casos o baixo preço não significa baixa qualidade, ainda mais quando o preço baixo vem de uma pesquisa intensa. Mas as vezes acontece perda da qualidade.

Como tentar prever isso? A visitação intensiva de prestadores de serviço te trás 2 ótimos benefícios, e o melhor: grátis!

Os benefícios são:

1. Você começa a ter um preço médio do serviço deste mercado, começa a entender os valores desse setor.

2. Consultoria grátis! Fazendo perguntas para os profissionais e complementando com pesquisas na internet, você vai começar a se tornar um especialista temporário no assunto aprendendo como são os processos e os termos da área, falar a linguagem deste profissionais gera uma diminuição imediata dos preços, eles têm um preço para leigos e um para entendidos, até eu faço isso quando presto um serviço e muitos profissionais também.

Baseado nestes 2 benefícios você pode tentar evitar os caloteiros percebendo um preço imensamente abaixo do mercado ou percebendo pela fala do profissional e por algumas perguntas de teste que você aprende a fazer depois que entende do assunto, que ele não entende daquilo ou está falando bobagem.

Como a demolição era o primeiro serviço que estava contratando e ainda era “Junim” peguei o mais barato seguindo minha máxima:

Se não tiver uma indicação do serviço, pegue o mais barato, se não der certo pelo menos você gastou o mínimo de dinheiro.

E foi batata. O cara tinha um preço como 3x menos que os outros que nem iam retirar a terra da garagem que eu precisava e era cheio de segurança e prazos absurdos, outro indício forte de picaretagem. Quem fala que faz e acontece, tudo ele resolve e ainda é mais rápido do que o humanamente possível é picareta! O cara começou até bem, quebrou a casa quase toda em um dia, depois disso parou. Ficou só um cara fazendo o serviço muito lentamente, ele roubou os fios que eu falei que queria, começou a pedição de dinheiro típica dos picaretas e no fim, quando você fala que não vai dar mais dinheiro, fez o que outros safados também fizeram, fugiu! Não sem antes roubar uma portar de ferro para pagar o caminhão de entulho e deixando um ajudante me aporrinhando e ameaçando para que eu o pagasse. Tive que dar uns tijolos da demolição pra ele parar de reclamar e vir à minha casa.

picareta

Ele deixou as ruínas da casa e todo o entulho. E eu ainda havia combinado com ele retirar algo que deve ter dado uns 27m³ de terra socada, que quando se tira triplica a quantidade. Imagina fazer isso tudo por algo que seria em torno de R$ 2.000,00! Claro que era furada, mas eu achei que era um achado dos preços baixos.

No fim eu gastei um pouco mais que isso para acabar a demolição e retirar os entulhos. Na parte da terra foram mais uns 7k de mão de obra e dezenas de caminhões de terra a R$ 180,00 cada um (chorados!), mais material para construção da garagem. Total: R$ 20.000~.

Então percebam que, tirando o material de alvenaria e a construção dos muros da garagem que ele não forneceria , o que gastei com mão de obra para demolir, retirar os entulhos e a terra ficou em aproximados R$ 10.000,00, 5x mais do que o preço do picareta. É um índice muito alto, que lembrem-se EXISTE ESSA DIFERENÇA PARA SERVIÇOS DE QUALIDADE, mas a sua pesquisa e seu conhecimento do assunto têm que embasar uma diferença dessas, que é raríssima.

 

Este post já está muito extenso, vou deixar para falar de outras formas de se resguardar de picaretas nos próximos posts. Falando do contrato de prestação de serviço (com modelo) e do pagamento.

Abraço e T+!

Construção, como tentar diminuir a vazão deste ralo de dinheiro.

0

 

ajudante-obra-carga-pedreiro-Thinkstock1

Ahhh obras, tão boas de se ver concluídas, mas financeiramente tão ruins. Acredito que obras são como a minha experiência com ações, você tem duas alegrias: o dia que começa (compra) e o dia que termina (vende), o meio disso é repleto de confusões, contra tempos, ansiedade, preocupações e claro, perda de dinheiro.

Eu devia ter começado a escrever sobre a construção que estou fazendo logo no início, reportando tudo desde o começo, quando tudo estava fresco na cabeça, mas antes tarde do que mais tarde. Infelizmente não tive essa ideia e só depois percebi a quantidade de blogs de construção de pessoas que registravam até uma reforma de cozinha. A informação desses blogs realmente foi muito útil pra mim e devia ter feito o mesmo para ajudar outras pessoas, até decidir se coloca piso preto ou branco porque todos dizem que eles sujam muito eu consultei esses blogs (conclusão sobre esse assunto: ponha o piso que você gosta, todos sujam e têm problemas).

lula-em-ipojuca-foto-ricardo-stuckert-pr

Hang Loose pro Lula é sacanagem!

A referida obra que estou fazendo é uma casa na qual pretendo morar assim que me casar, inclusive ela que está segurando o casamento (outro assunto a ser imensamente discutido aqui, afinal é difícil imaginar algo em que se gaste mais dinheiro, para mim, inutilmente). Atualmente a obra está com a alvenaria concluída, com a laje e o telhado está sendo acabado agora. Então falta todo o acabamento, reboco, instalação elétrica (que já começou) e hidráulica.,
Vou tentar ir reportando as coisas mais antigas e já concluídas para não perder o que aprendi com a obra, que foi muita coisa. Uma hora eu alcanço a situação atual e começo a postar em “tempo real”.

 

O Começo de tudo

 

big-bang-theory

A casa onde eu morava desde os 7 anos fica em um bairro pobre de Belo Horizonte, mas que não fica na periferia. Até pelo contrário, ele fica bem próximo do centro e é bem localizado, ficando próximo das principais vias de trânsito rápido de BH. Inclusive isso é uma coisa importante na hora de comprar uma casa ou decidir onde construir ou morar, existem vários bairros próximos do centro com residências a preços de bairros periféricos, com as quais você não irá gastar fortunas com deslocamento e consumir todo o seu tempo nestes trajetos.

Essa primeira casa era muito antiga e depois de uns 10 anos nos mudados para uma outra casa que havia nos fundos do mesmo lote, que é bem grande. A intenção era reformar ou construir outra casa no lugar da antiga, acabou que ficamos na casa provisória por mais uns 10 anos. A obra só realmente começou quando eu comecei a ter dinheiro para construir, juntamente com minha mãe, já que a dela está sendo feita junto (geminadas).

Então o primeiro dilema de todos foi a demolição da casa antiga. Primeiro problema, arrumar uma firma de demolição barata.

continua…

Go to Top