AguiaMa

Viajar para os Estados Unidos da América (EUA) pode ser uma forma de economizar. Algumas coisas são tão caras no Brasil (vide iPhone e eletrônicos no geral, enxoval e acessórios para bebê, roupas de marca, etc) que ir aos EUA e comprar estas coisas sai muito mais em conta, ainda mais quando se consegue passagens de R$ 800 e ainda se aproveita para muambar e trazer algumas coisas para os amigos à módicos 30% (que não é nada perto dos 100% de imposto mais frete cobrados pelas vias normais).

AguiaDoida

 

Entretanto, para você poder acessar esse paraíso de compras, ainda é preciso um visto que te possibilita entrar no país. Digo possibilita porque ele não é garantia da sua livre entrada, ele é apenas o primeiro passo. Assim como a maioria dos países da Europa que não exigem visto podem te barrar na chegada ao país, os EUA também podem, mesmo com o visto, apesar de isso ser bem incomum.

A obrigatoriedade de vistos para os brasileiros também tende a acabar. Como nós não temos um histórico de terrorismo e ultimamente estamos deixando mais dólares lá do que qualquer outro país, a tendência é que eles acabem com esta restrição. Mas para isso, entre outros detalhes, é necessária uma taxa de rejeição de vistos menor que 3%, e hoje, graças as pessoas de Governador Valadares (haha) essa taxa ainda é de 3,8%. Apesar deles ainda exigirem os vistos, após perceberem que os brasileiros são uma mina de ouro, o processo está extremamente rápido, podendo demorar menos de 5 dias, para o que antes demorava até 6 meses, além de estarem planejadas novas embaixadas em Belo Horizonte e Porto Alegre. Estatísticas.

bolhaEUA_BrasilSam

Aqui temos um vídeo que mostra um pouco do processo, com muita propaganda e que demonstra como eles acham que nós somos retardados a ponto de não conseguir passar um passaporte por sob o vidro ou tirar as digitais em uma máquina. Tudo bem que os brasileiros tem um problema com a definição e o respeito a filas, mas não precisava tanto!

Uma forma bem cômoda de tirar um visto é utilizando os serviços de assessoria consular, que são uma espécie de despachantes para visto (a burocracia gringa também gera empregos aqui, não é exclusividade nossa). Esses serviços custam em média R$ 600 já com a taxa de US$ 160 cobrada pela embaixada dos EUA. Eles fazem tudo pra você, só não vão na entrevista. Caso queiram ostentar com um serviço desses indico este aqui: Multivistos, de uma conhecida minha.

Agora, para quem quer economizar de verdade, vou passar o mapa da mina. O caminho é longo, mas depois que você começa é até tranquilo. Em uma sentada de umas 2 horas (menos com estas dicas) você faz tudo e até compra as passagens pro consulado, se for preciso.

As instruções básicas você encontra aqui: https://usvisa-info.com/pt-br/selfservice/us_before_you_apply

Mas vou descrevê-las passo a passo abaixo:

Checklist

1. Preencher o formulário DS-160 no endereço https://ceac.state.gov/genniv
Esse formulário é em inglês e pede muita coisa. Anote o código informado e a resposta da frase secreta escolhida, estas informações juntamente com seu ano de nascimento e seu sobrenome serão exigidos caso você pare de preencher o formulário e queira continuar depois.
Dicas:
– No Brasil nós não temos o telecode, marque não
– National Identification Number, coloque seu RG com a sigla do estado ou CPF (já fiz com os dois), os outros 2 números não se aplicam.
– ZIP Code é o CEP
– A maioria dos passaportes é o regular (normal), no Brasil nós não temos o Passport Book Number, então ele não se aplica.
– O tipo de visto mais requisitado é o B, pois ele serve para viagens de negócios (B1) e de turismo (B2), a opção para ambos é a primeira, B1/B2.
– Quando pedir o endereço do local que você vai ficar nos EUA, procure um hotel qualquer no Google de algum lugar que você deseja ir e coloque, a maioria das pessoas nem sabe pra onde vai no momento de tirar o visto e todas fazem isso, não sei porque esse campo ainda é obrigatório, mesmo você colocando que não tem planos de viagem ainda. Um endereço de hotel bem ostentação que vocês podem utilizar é o The Plaza Hotel, aquele que o Kevin do Esqueceram de Mim 2 se hospeda, em frente ao Central Park (com diárias de R$ 2.000):

The Plaza Hotel

768 5th Ave
New York, NY
Zip Code: 10019
Tel: + 212 759 3000 / +1 866 940 9361
plazareservation@fairmont.com

home-alone-2

– Quando começarem as perguntas de sim e não (lá do final, security and background information), sempre responda NÃO! Caso você responda um sim, seu visto deve ser automaticamente negado.

ATENÇÃO: Fique atento ao escolher o consulado onde você fará a entrevista. Esta informação só é revelada na hora de agendar a entrevista, quando o DS-160 já está preenchido e não há o que fazer. Atualmente é necessário ir a dois lugares para tirar o visto, primeiro deve-se ir com pelo menos um dia (e no máximo 8) de antecedência à entrevista, em um Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV), que atualmente estão presentes em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte e Porto Alegre. Nestes locais você leva sua confirmação do formulário preenchido e tira as digitais e a foto. Só que, as entrevistas só ocorrem nos consulados, que ainda não estão presente em Belo Horizonte e Porto Alegre, caso você queira levar seus documentos em BH, você é obrigado a fazer sua entrevista no consulado do Rio de Janeiro e caso você queira levar seus documentos no CASV de Porto Alegre, você tem de ir à entrevista no consulado de São Paulo.

Depois de terminar o preenchimento, vai aparecer uma página de confirmação com um código de barras que você deve imprimir. Atualmente não precisa da foto, ela é tirada nos CASVs. E também não precisa imprimir o formulário todo, eles falam tanto isso que se você levar e mostrar o DS-160 impresso pra eles é capaz deles colocarem isso também no vídeo para deficientes mentais deles.

 

2. Tendo o DS-160 preenchido e com a confirmação do mesmo, você já pode acessar o site https://usvisa-info.com/pt-br/selfservice/ss_country_welcome, fazer o seu cadastro para logar e entrar na parte de agendar a retirada de digitais e fotos nos CASVs e a entrevista nos consulados.

Antes de agendar é necessário pagar a taxa, chamada de MRV, de US$ 160 (+IOF, via cartão de crédito) ou R$ 368 (via boleto). Atualmente esta taxa é única e inclui até o envio do passaporte pelo correio, até 2012 eram umas 3 taxas separadas e você pagava o correio lá no consulado. Esse pagamento é feito no mesmo site de agendamento, logo após o logon e avançar alguns passos. Após pagar eles te informarão um número que comprova o pagamento da MRV, no cartão isso é tudo automático e já te leva para o agendamento, no caso de boleto acho que demora mais e você tem de inserir esse número para prosseguir.

Após efetuar o pagamento, você primeiro agenda a entrevista, depois aparece o agendamento do CASV, sempre com pelo menos um dia de antecedência e no máximo 8. Deixe sempre para comprar a sua passagem para o local depois de confirmar os dois agendamentos, pois aparecem “buracos” de datas entre eles, então pode ser que você não consiga ir nos dois em sequência.

Atualmente a média de espera para os agendamentos é de apenas DOIS dias! E os CASVs funcionam até na tarde de domingo, para atender quem tem entrevista no consulado na segunda-feira. Neste endereço você pode consultar o tempo para o próximo horário vago de entrevistas em cada cidade com consulado: http://travel.state.gov/content/visas/english/general/wait-times.html/

Finalizando os agendamentos, imprima também esta confirmação, que terá várias informações importantes: dois códigos de barra com o número do seu passaporte e do seu formulário DS-160, sua confirmação de pagamento da taxa MRV, alguns dados seus e as datas e horários dos agendamentos (CASV e embaixada).


Confirmação agendamento

 

Pronto, isso é tudo!

Além destas confirmações e do seu passaporte que são obrigatórios de levar, vou pode levar outros documentos. Os oficiais geralmente procuram informações a respeito dos vínculos dos solicitante – tais como ligações familiares ou emprego – que os compeliriam a retornar para casa de sua viagem aos Estados Unidos. Então eles sempre perguntam sobre o propósito da viagem, quanto tempo pretendem ficar nos Estados Unidos, e como vão cobrir os custos da viagem.

Ainda que o oficial possa não solicitar a documentação, os solicitantes podem trazer documentação administrativa para fornecer, se necessário. Documentos adicionais: documentos que provem a evidência da possibilidade de pagamento da viagem e suas conexões com um país fora dos EUA (por exemplo, cartão de trabalho, retornos de taxas de imposto de renda, contra-cheque, certidões de casamento e nascimento, documentos empresariais, extratos bancários, declarações de instituições de ensino, comprovantes de automóveis e imóveis ou qualquer outro recurso financeiro como propriedades alugadas, cadernetas de poupança, etc.).

 

Dicas adicionais:

1. Não leve nada eletrônico nem para os CASVs nem para as embaixadas, você não pode entrar com eles (apesar de em alguns CASVs eles deixarem desligar o celular) e não tem onde deixá-los, a não ser utilizando o serviço de guarda que disponibilizam nas proximidades e cobram um preço bem salgado de até R$ 20,00.

2. Caso você escolha a devolução do passaporte pelos correios, demora em média uns 10 dias.

 

Flws!!!